topo
home serviços serviços Empresas serviços
Pesquisar por:
buscar
 
bem vindos
Guerra dos processadores: Saiba como escolher a melhor CPU

Quando você estiver pesquisando a compra de um PC, não se contente com a recomendação padrão de um fabricante. Escolher o processador certo é uma decisão que deve ser levada a sério. E, com tantas opções no mercado, você precisa saber no que está investindo quando escolhe um chip para o seu micro.

Selecionamos oito dos processadores líderes de mercado e fizemos uma bateria de testes para ajudá-lo em suas compras.

Mesmo depois de escolher uma fabricante como a Intel ou AMD, ainda há muito a fazer; cada linha de chips de cada empresa tem diferentes famílias com especificações e recursos. E você encontrará várias opções
Não é inteligente pensar que a frequência do processador, ou a velocidade que executa suas instruções, é um guia confiável para a escolha sobre os concorrentes. Embora isso possa ser verdade em alguns casos, a arquitetura de um chip pode turbiná-lo. Dependendo da fabricante e do modelo, uma CPU multicore mais "lenta" pode ser melhor que um processador aparentemente mais forte que foi dividido em menos núcleos – o caso de um quad core contra um dual core.

E isso é apenas o começo das confusões. Qual a importância do overclocking automático nas CPUs convencionais de hoje? Porque o índice de preço por desempenho parece ser mais cara no caso dos processadores Intel contra os da AMD?

São muitas questões confusas para qualquer um que não esteja familiarizado com as arquiteturas de processadores. Mas tudo bem: separamos oito exemplos clássicos – metade da AMD e outra metade da Intel – e fizemos testes com o WorldBench 6 para oferecer um guia que pode ser utilizado para entender suas escolhas e ajudar a escolher seu próximo processador. Todos os preços são os sugeridos pelos fabricantes, cotados em dólares. Preços no mercado nacional podem variar.


ABC da CPU
Discussões sobre CPUs podem rapidamente se tornar cheias de termos técnicos. Aqui estão alguns dos mais comumente usados quando o assunto são processadores.

Cache: memória interna abrigada no mesmo "chip" que a CPU, usada para armazenar dados e instruções frequentemente usadas, o que reduz o tempo necessário para buscá-las na memória principal e acelera o desempenho do computador. Quanto mais, melhor.

Chipset: chips auxiliares que trabalham em conjunto com o processador, geralmente controlando o funcionamento de periféricos como placas de expansão, som, vídeo e interfaces de disco. É o "mediador" na conversa entre o processador e os outros componentes da máquina

Clock: a frequência de operação do processador, medida em hertz. Um hertz corresponde a um ciclo de operação por segundo, processadores atuais operam na casa dos gigahertz (bilhões de ciclos por segundo). Antigamente relacionada à velocidade do processador (quanto mais instruções por segundo, mais rápido o processador), mas hoje esta medida não é mais tão direta, como vocês poderão ver nos resultados dos testes abaixo.

Codinome: nomenclatura interna usada por uma empresa para identificar um produto antes que seu nome final seja definido. Pode ser usado para se referir a uma família de processadores (como "Gulftown" ou "Deneb"), uma microarquitetura (como "Nehalem", da Intel) ou uma plataforma (como a "Dragon", da AMD, ou "Skulltrail", da Intel).

Núcleo: é a unidade central de um processador, responsável pela execução das instruções que compõem os programas. Processadores modernos podem ter 2, 4, 6, 8 ou até 12 núcleos em um único chip.

Pastilha: a superfície física, feita de silício, onde um processador é fabricado. Tamanhos menores reduzem os custos de fabricação e o consumo de energia do processador.

GPU: Graphics Processing Unit, ou "Unidade de Processamento Gráfico". Responsável pela geração das imagens exibidas no monitor. GPUs modernas são otimizadas para a criação de gráficos poligonais e tarefas como a decodificação e reprodução de vídeo. Pode estar dentro do processador, no chipset ou em uma "placa de vídeo" separada.

Nanômetro: um bilionésimo de um metro. É a medida do espaço entre as conexões dos transistores em um processador. Atualmente o "estado da arte" é o processo de produção em 32 nanômetros.

Soquete: faz a interface entre o processador (encaixado no soquete) e a placa-mãe. Geralmente um único modelo de soquete é compatível com várias gerações de processador, até que mudanças no projeto elétrico ou físico dos chips exijam a criação de um novo soquete. Na hora de comprar um processador "avulso", é necessário verificar qual soquete sua placa-mãe usa para assegurar a compatibilidade.